22 de novembro de 2009

Guitar Player

Mais um post da edição de banca...

Divagações no divã da Guitar Player

No blog deste mês, claro que não poderia deixar de comentar sobre a matéria de capa – pesquisa sobre o meu estilo de tocar, os passos principais a seguir, uma mesa-redonda, sessão de fotos e vídeos para o site de Guitar Player. Toda essa somatória de informações com a intenção de encontrar exemplos para outros guitarristas, que os ajude a guiar seus estudos e até auxiliar em suas decisões de vida.
É interessante como essa busca em fatos da minha vida possa orientar músicos da nossa confraria guitarrística. Eu mesmo não me dou conta do ocorrido ao longo destes 25 anos tocando. As entrevistas vasculhadoras e detalhistas funcionam como um divã freudiano, onde tenho de encontrar certos porquês de que nem eu mesmo me dou conta. Explicar atitudes, as bem-sucedidas ou as escolhas certas, como se tudo tivesse sido premeditado e calculado. Puxo pela memória já oscilante fatos meio borrados e desgastados de quando comecei a tocar. O que eu fazia não foi nada diferente de outros amigos que também iniciavam uma trajetória musical. É um pouco estranho ser sabatinado pelo meu próprio professor de tantos anos Mozart Mello, como se eu tivesse algo para acrescentar em tudo que ele me ensinou. Mas, em realidade, por outra perspectiva e exercitando um pouco esta questão psique, minha vida é diferente da de qualquer um, e mesmo que estudemos as mesmas coisas, o ambiente em que vivemos, seja familiar, escolar ou situações extramusicais, nos direciona para caminhos diversos. Além disso, nossos gostos, ideais de vida e maneirismos também influenciam quem somos e o que queremos ser.
As portas abertas e fechadas, dúvidas, escolhas, erros e acertos estão sempre a nos desafiar e a deixar a vida interessante e viva. Histórias vividas são exemplos sempre. Acredito que a observação destas histórias, com demonstração de perseverança, autoconfiança, honestidade, equilíbrio, dedicação, amor à causa, viradas de mesa, voltas por cima, são referências para todos, mesmo que tudo isso soe como como um best-seller de auto-ajuda
Assim, uma mesa-redonda curiosa e investigadora se faz interessante e pode servir de ponto de partida para alguns. É engraçado relembrar fatos remotos que, como todos outros músicos e guitarristas, eu também vivi: meu dedo doía para fazer pestana, entrei tímido em minha primeira aula de guitarra e pirei com a facilidade com que o professor tocava pentatônicas, por muitas vezes toquei muita coisa errada e fiquei chateado por isso (continuo errando, apenas aprendi a conviver e aceitar os erros), fiquei sem voz de nervosismo quando fui gravar minha primeira videoaula, várias vezes achei que havia me colocado em situações de shows com pessoas e lugares das quais não me julgava à altura e que seria melhor estar em casa, tocando no meu quarto. Nada diferente de ninguém. Todos nós passamos ou passaremos por isso, mas cada um do seu jeito e dentro das oportunidades que aparecem.
É difícil a posição de aconselhar alguém, pois nem sempre nós mesmos temos a certeza de nossos caminhos. No fundo, o que importa é tocar com dedicação e felicidade, buscar se aprimorar como músico e instrumentista, estudar e criar situações novas para uma melhoria e aprendizado constante.
Não deixe de visitar meu blog no site Guitar Player: http://kikoloureiro.guitarplayer.com.br. Você pode sugerir temas para esta coluna pelo e-mail info@kikoloureiro.com.br. Dúvidas e comentários são sempre bem-vindos.

13 comentários:

bruno chaves disse...

Bah ...q coisa loca . eu acabei de ler isso na revista ..e havia achado realmente muito bom ...a parte tipo
"meus dedos tbm duiam .quando fazia pestana" ;;;
E então entro no blog e ta la
Muitoo legal mesmo ....abraço

Anônimo disse...

parabéns Kiko, seu blog tá show, sempre passo aqui!!

Zeuberllyn disse...

Primeiramente gostaria de dizer que admiro muito o trabalho do Kiko Loureiro, pois ele é um exelente guitarrista. Errar é humano, cometemos erros até em pensamentos. Se um cantor esquece a letra da música no show por que um guitarrista, baterista ou baixista não pode errar também?Temos que errar para poder reparar os nossos erros até mesmo em nosso trabalho.Se o Kiko não errasse ele não seria normal!Li a entrevista e gostei da honestidade do cara!Ele reconhece que não é perfeito e isso é bacana. Agora uma pergunta que não quer se calar:Por que todos os guitarristas são seguidores de Jeff Beck?Eu tb admiro muito o guitarrista Yngwie Malmsteen o cara toca pra caramba!
Vlw ae a entrevista

Anônimo disse...

Gostei particularmente do trecho "relembrar fatos remotos", pois tb eu, mesmo não seguindo em frente, passei por isso. Saudade gostosa dos dedos doídos.

Pk.

Anônimo disse...

bahhh, eu ja li isso! em algum lugar, mas li!

Luísa. disse...

Puxa, Kiko, que coisa maravilhosa essa do divã freudiano... vou começar a fazer isso depois que alcançar os 25 anos de carreira! XD Parece que realmente funciona... Ai, ai. Eu não tenho o que dizer. Amei o post, simplesmente. Amei. Abraço grande, que suas superações sejam cada vez maiores e que o seu sucesso seja cada vez maior!!

Luciana MN disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GuitarTech disse...

muito legal kiko, relatou de maneira brilahnte a vida de um músico, seu modo de tocar e sua visão dentro da musica sempre me serviram de exemplo, parábens pelo musico e pessoa que você é.

http://guitartechnical.blogspot.com/

Jeferson disse...

Tão jovem e já uma lição de vida...
Parabens Kiko, continue assim se superando cada vez mais! Que Deus te ilumine nessa sua jornada!
Jeff Duarte...

Thais disse...

Seus textos são sempre maravilhosos de serem lidos. Bj

ELAINE CANDEAS disse...

Oi, Kiko vamos nos ver em Taubaté!Agora! Dia 4 / 12 /2009. Adorei esse seu texto! É bem verdade,todos nós passamos, por vários dias trancados no quarto estudando guitarra. O seu texto me serviu de apoio, devido a um conflito que vivo dentro de mim no momento. Quando você quer tomar uma decisão tudo conta...A família...os estudos...os negócios de uma profissão mau escolhida! Mas temos que seguir, quando queremos algo, com o pensamento fixo no seu desejo. O Universo conspira ao seu favor! È legal o seu blog! Curto realmente o que você escreve!
Fala a verdade!
Você não vai nem dar bola para o que eu to escrevendo, né? E eu aqui... feito boba escrevendo para você!!!!:)
Tchau! Até em Taubatexas!

ELAINE CANDEAS disse...

Oi, Kiko vamos nos ver em Taubaté!Agora! Dia 4 / 12 /2009. Adorei esse seu texto! É bem verdade,todos nós passamos, por vários dias trancados no quarto estudando guitarra. O seu texto me serviu de apoio, devido a um conflito que vivo dentro de mim no momento. Quando você quer tomar uma decisão tudo conta...A família...os estudos...os negócios de uma profissão mau escolhida! Mas temos que seguir, quando queremos algo, com o pensamento fixo no seu desejo. O Universo conspira ao seu favor! È legal o seu blog! Curto realmente o que você escreve!
Fala a verdade!
Você não vai nem dar bola para o que eu to escrevendo, né? E eu aqui... feito boba escrevendo para você!!!!J
Tchau! Até em Taubatexas!

Anônimo disse...

Legal a sua história! Tenho até hoje as video aulas gravadas em VHS.

Kiko estamos esperando que você possa lançar um album estilo No Gravity novamente.
Gosto dos outros álbuns mas para mim, este álbum em particular é incrível!

Felipe