18 de dezembro de 2009

Composição- Post Guitar Player



COMPOSIÇÃO
Um dos assuntos recorrentes nas sabatinas dos workshops é composição. É sempre um mistério transformar os acordes e as escalas que aprendemos de músicas alheias em composições próprias, que sejam a expressão do que realmente somos.
Como criar? De onde vem a inspiração? Como nasce uma música?
Neste momento, 2009 à míngua e 2010 ao horizonte, a cabeça já precisa ebulir novos trabalhos. Após lançar dois CDs este ano, Neural Code e Fullblast, e o Angra estar sem lançar algo inédito há 3 anos, chegou a hora de começar a focar e concentrar no tema criação-composição. É uma incógnita, difícil prever o que vai surgir, nada pode ser muito premeditado. É sempre a reflexão do seu momento de vida impresso em notas e arranjos.
Para quem não tem prática ou segurança, uma boa dica para os primeiros passos é convidar um parceiro – um amigo músico ou outro membro da banda. Nossas ideias musicais são muito íntimas e, por vezes, é difícil ter segurança de que elas são boas o suficiente para mostrar ao mundo. Duas cabeças pensam melhor do que uma, e o amigo é aquele para o qual você pode contar suas glórias e fraquezas.
No Angra, fizemos diversas músicas em parceria entre todos os integrantes. Com Rafael Bittencourt, são quase 20 anos de estrada. A composição é um improviso organizado. Uma melodia, riff ou harmonia que aparece como uma luz no cérebro. A partir desta, faz-se necessária uma labuta incansável até que aquele pequeno motivo original tenha um começo, meio e fim e faça parte de um todo ainda mais grandioso.
Lembro como se fosse hoje: Rafael e eu sentados em uma sala da EM&T com violões em punho e eu, de improviso, balbuciei a introdução da música Rebirth. Ele, ao gostar do que ouviu, já emendou o verso e o refrão, também de improviso catártico. Com a empolgação do resultado, criamos uma parte meio maluca no meio. Lá estava a música feita em pouquíssimo tempo. Esta e tantas outras composições que nascem como uma dádiva parecem já prontas em algum lugar do universo, e são estas músicas que atingem o inconsciente da maioria das pessoas.
Neste convívio e prática com a composição, o maior dos aprendizados é saber que, para acontecer de forma eficaz e saudável, deve-se deixar fluir qualquer pequeno motivo, qualquer viagem musical, mesmo que aparentemente boba. Nunca subestime uma ideia sua e muito menos a do parceiro. Incentive e sempre procure e experimente alternativas. Muitas surpresas aparecem nessas horas.
Não deixe de visitar meu blog no site Guitar Player: http://kikoloureiro.guitarplayer.com.br. Você pode sugerir temas para esta coluna pelo e-mail info@kikoloureiro.com.br. Dúvidas e comentários são sempre bem-vindos. Siga-me também no Twitter: www.twitter.com/kikoloureiro

9 de dezembro de 2009

BDG

Entrevista no BDG.

Confiram o áudio da entrevista no link


http://bandasdegaragem.uol.com.br/rotabdg/?edicao=80


http://p.audio.uol.com.br/bandasdegaragem/podcast/rotabdg07-12-09/rotabdg.mp3