3 de setembro de 2011

GUITARRISTA TIPO EXPORTAÇÃO - Made in Brazil



GUITARRISTA TIPO EXPORTAÇÃO - Made in Brazil

A música brasileira sempre foi e será prestigiada no mundo inteiro. É um valor adquirido graças aos grandes compositores e artistas da nossa história. Originados da miscelânea cultural que é o Brasil, eles formaram algo original e atrativo, admirado em todos os cantos do planeta.

Ao lado do futebol, a música brasileira é o nosso maior patrimônio. Mesmo que a imagem internacional do Brasil seja maculada pelas nossas mazelas – da senzala às favelas, da polícia aos políticos, e tantos outros problemas –, a música brasileira permanece intacta, surpreendente, rica e versátil, amada por todas as nacionalidades.

Na China, encontra-se uma atmosfera acolhedora, aberta a novas culturas e com a sede de participar das facilidades, do conforto e da tecnologia do nosso lado do planeta. Ao perceber isso, o mundo todo quer hastear sua bandeira para demarcar território e selar um futuro promissor em uma terra na qual quem se posicionar bem colherá os frutos. Aqui na China, é como se não existisse passado, não há referência para com a história do rock ou da guitarra. Uma página em branco para quem quiser escrever. Por exemplo, o encarregado das relações artísticas da maior importadora daqui viu uma guitarra pela primeira vez na vida aos 24 anos de idade e hoje, aos 31, acompanha artistas e participa do marketing de produtos.

Para ele, Jimi Hendrix e John Petrucci têm o mesmo peso histórico. Assim, nós, guitarristas, também podemos nos posicionar perante essa abertura e, com ela, aprender que o mundo é enorme e repleto de oportunidades.

A busca de outros portos sempre esteve à nossa disposição. Tudo é uma questão de atitude. Temos de abrir caminho, ter o posicionamento expansivo que existe desde os tempos de Cabral e Vasco da Gama, mas que acho pouco explorado por nós. Quem se beneficia do nosso legado são os que possuem um som genuinamente considerado brasileiro em eventos da chamada “world music” ou quem toca para brasileiros em terra estrangeira. Não é o suficiente, podemos mais.

Assim como muitas empresas de sucesso no Brasil não abrem os olhos para o mundo, mantendo seus produtos, websites e marketing em português, nós, músicos, também nos restringimos e olhamos apenas para o mercado nacional. Aqui na terra de Confúcio, encontrei russo, francês, alemão e mexicano aproveitando as oportunidades que surgem.

Uma carreira internacional não é privilégio de ninguém, é apenas uma visão mais global do que se faz. É a perspectiva do olhar – se está voltado para fora ou para dentro, se ultrapassa fronteiras e barreiras linguísticas ou não. A nossa música, a original e genuína, já abriu o caminho. Agora, é só uma questão de posicionamento e virtude de cada um.

Na China dos arranha-céus, o sábio chinês de outrora Lao Tsé não parece mais exercer tanta influência com seus provérbios taoístas de desprendimento e introspecção. Muito menos o comunismo de Mao Tsé-Tung. Então, por que esperamos?

7 comentários:

Anônimo disse...

Para um guitarrista você é um excelente blogueiro. Parabéns!!! É só o que tenho para dizer, continue assim, um gênio, na música e nas palavras.

Paula Sá disse...

Sábias palavras, meu caro. Porém, ainda reside em boa parcela da população do nosso querido país uma mentalidade de colonizados. Ainda deslumbramo-nos com espelhos trazidos por Cabral! Essa mentalidade cerra nossos olhos e não nos permite ver possibilidades além das nossas fonteiras territoriais. Creio que ainda não acordamos para a globalização (e esta já ocorreu há muito tempo!). As oportunidades existem, como disseste, basta irmos atrás! Texto excelente!

rafah .-. disse...

eu me inspiro em vc *-*

Mateus disse...

É... pra todos aqueles que são músicos, ou querem seguir carreira, ler isso com certeza pode mudar o rumo da vida de quem o faz. Parabéns pelo texto, Kiko.

Monica Fontes disse...

Quem espera NUNCA alcança! :)
A maioria do povo brasileiro (existem exceções, é claro!) é muito acomodada e não arrisca nada. Se resignam com suas frustrações e vivem por viver.
Vc é uma das exceções e é por isso que eu te adoro!

Kiss! Saudade de vc!

Daiany disse...

Ai ai me lembro de que um amigo sempre me falava do Angra e eu não queria saber de jeito nenhum...mas um dia eu escutei e me apaixonei...

Tempos Bons na minha velha adolescência...kkkkkkkkkkk

Nem faz tanto tempo assim ... o.O

De vez em quando bate uma nostalgia e ponho todos os cds pra tocar me acabo.....Isso é que é música....

sdcsd disse...

Fazia tempo que eu não lia algo tão bom sobre musica, sobre o fato do Brasil não se abrir para o mundo eu concordo e acho que o Brasil vive como se o exterior fosse uma fantasia que não existe na realidade, mas isso vem mudando.
Grande Abraço.