14 de novembro de 2011

Sobre o Rock in Rio- Guitar Player


NO FINAL, TUDO VAI DAR CERTO. SERÁ?

- “Gringo maldito, cai fora que estamos no Rio de Janeiro. Aqui gringo não tem moral. Isso aqui é Brasil!” Pancadaria cinematográfica, objetos voando pelo ambiente. De um lado, dois alemães da empresa de iluminação; do outro, todos os cozinheiros e seguranças do restaurante dos artistas e da produção, que abriu 20 minutos atrasado.

- “Vocês estão indo para o palco? Estou aqui esperando minha van há duas horas, mas ninguém sabe de nada. Posso ir com vocês? Preciso programar a luz do show de hoje à noite do Slipknot”. “Sorte a sua que estamos indo agora. A nossa chegou só meia hora atrasada. Melhor que o Lemmy (Motörhead), que esqueceram no aeroporto ontem...”

- “A mesa que colocaram para o P.A. do Angra não está cabeada. Precisamos de algumas horas, mas a passagem de som é só de uma hora”.

- “Não adianta apressar, pois só há uma mesa de monitoração para todas as bandas, e o responsável é português e a comunicação está complicada. Está todo mundo batendo cabeça”.

- “Havia um representante da empresa do P.A. mexendo no equipamento durante o show. Acho que foi por isso que metade do som desligou e não tinha frequência média. Fomos obrigados a ligar em mono para o show do Sepultura não ficar tão ruim quanto o de vocês”.

Foi ao mesmo tempo a maior alegria e a maior decepção estar no Rock in Rio 2011. É inexplicável a sensação de tocar para tanta gente em um festival histórico, mas contar com uma produção à altura de um festival de colégio – ah... exceto a iluminação da cidade do rock, que foi um espetáculo à parte, pois todos os técnicos eram vindos de fora e eles não aceitam um minuto de atraso sequer, nem mesmo no almoço.

O termo em inglês que não consta no dicionário de uma boa produção é “compromise”. Significa consílio, meio-termo, concessão, acordo. Uma produção em excelência é aquela na qual não existe meio-termo para os problemas. Resolve-se e pronto. É inaceitável o “quase bom”: ou é excelente ou não serve.

Esse parâmetro de excelência é quase impossível em algumas situações e temos sempre de brigar, passar por chatos ou arrogantes. Se for no Brasil, a coisa complica ainda mais, porque não temos esse pensamento impresso em nossa genética . É engraçado perceber a nossa reação perante um “no compromise” gringo – acontece uma certa obediência e sensação de que o sujeito deve saber o que está falando. De brasileiro para brasileiro, a coisa é diferente. Espera-se o concílio, o “jeitinho”, o “tudo vai dar certo no final”. E se não der? Não deu para o Angra no Rock in Rio.

Aproveito para lembrar duas frases do guru moderno que, infelizmente, se foi em outubro:

“Meu trabalho não é agradar as pessoas. Meu trabalho é pegar essas grandes pessoas que temos, exigir o máximo delas e torná-las ainda melhores”.

“Seja uma referência de qualidade. Algumas pessoas não estão acostumadas a um ambiente em que se espera excelência.” – Steve Jobs



14 comentários:

sky copa 2010 disse...

kiko como fasso para p\
a espiracao musical nos solos

Anônimo disse...

kiko, que massa, eu postei o primeiro comentário, ééééééééé galera, eu so o + bem informado daki
eu so bonito, e vcs sao feioooooo
vcs sao viado e eu nãão
UHUAHSUAUSHAUSHUAHSUAH

Jonathan "Johny" Miranda disse...

Grande post cara. É lamentável um festival desse porte, com tantas bandas nacionais e internacionais grandiosos, prestar um serviço tão porco. E ainda tem crítico que mete pau nas bandas...lamentável.

bruno alves disse...

O Rock in Rio em sua próxima edição deveria dar a chance do Angra fazer um novo show, dessa vez como deve ser feito. Cagaram total... Uma pena, mas nem por isso eu curti menos o show... Abç

Milla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula Sá disse...

Não preciso repetir quais foram as falhas, elas já foram ditas. Estava nesse show e fiquei muito triste pelo que aconteceu. Estava ansiosíssima para vê-los tocar (de novo). E se foi decepcionante para mim, imagino para vocês! E acho também que uma banda como o Angra ou Sepultura não deveriam estar no palco secundário. Vocês mereciam mais respeito! É o que eu acho...

Anônimo disse...

Foi uma pena pela falta de respeito q eles tiveram em relação aos artistas q tocaram no palco sunset, pq no palco mundo parecia estar tudo perfeito... MAS é importante dizer q quem conhecia as bandas q estavam tocando sabia da alta qualidade dos músicos inclusive do ANGRA!! kiko eu ter orgulho de ter um músico como vc sendo BRASILEIRO! NUNCA VOU CANSAR DE REPETIR ISSO! bjão carol

Anônimo disse...

Kiko, quando o Angra vai vir para Santos novamente? Venho procurando notícias das turnês mas parece que vocês estão um pouco parados...Quanto ao Edu, depois do desabafo dele, que apesar de palavras fortes, falou a verdade, o que se pode esperar? Ele vai deixar de cantar nas notas agudas e tal? Enfim...sou fã de vocês. Abraço.

Deda disse...

Cara, serio queria ter certeza que é o próprio kiko loureiro que escreve isso, sempre venho aqui e me pergunto a mesma coisa. Na verdade esses textos são escritos por alguém muito inteligente e ativo mentalmente, coisa que não vemos na maioria dos guitarristas principalmente os voltados para o rock. a sociedade nos coloca como seres não-pensantes só porque gostamos de um som um pouco mais nervoso.rssrrr em fim. gostaria de dar os parabéns seja lá pra quem estiver escrevendo. Se for o kiko mesmo lá vai um recado: "ri muito com o bêbado na Finlândia"...
Email: coragen@hotmail.com

Rodolfo de Oliveira disse...

Concordo Kiko, mas ainda bem que o público de vocês(EU) sabem da suas capacidades e habilidades e apesar do Rock in Rio não ter sido aquilo para o Angra, foi muito especial para seus Fãns(EU dinovo kkk), mesmo com todos os erros, desencontros e tudo mais. Adoro vocês, abraço!

Júlio Sampaio Neto disse...

Trágico...
o pior é q tem galera dizendo q vcs não tocam bem!
deve ter sido um sonho ter tocado no rock in rio, mais a decepção com a organização foi muito além das paredes da casa "ANGRA", todos os fãs estão com uma ponta de "poxa eles poderiam ter feito muito mais do que fizeram se a organização tivesse dado mais estrutura pra banda".
ah é...
Tarja, the best ever!

Renato Sacramento disse...

Kra sai de Alagoinhas na Bahia pra ver o Rock in Rio, estava ancioso pra ver o angra e derrepentemente me deparo com um som extremamente horroroso de grave, sem médio, uma bagunça! Mas Angra é Angra e mesmo assim cantamos as musicas bastante empolgados e deliramos muito nos solos do Kiko. Em 2013 se Deus quiser estarei la novamente curtindo Angra no palco do mundo WOoHOOO!

Anônimo disse...

Kiko, tira o Edu do Angra, pelo amor de Deus! Amo essa banda e acho que ela merece que tudo funcione bem. Como é que vcs vão gravar um DVD algum dia com Edu nessa banda? Chamem o Alírio Neto, que o Angra vai bombar no esterior novamente. Sou seu fã.

Leonardo Norris disse...

grande post,sempre falando a verdade cara vc é a maior inspiraçao que alguem pode ter aqui no brasil atualmente claro,tudo de bom para voce e o pessoal da banda e que voces possao ter outra chance para tocar no rock in rio por que voces merecem estar nesse evento voces derao duro para isso e merecem outra chance continue evoluindo kiko e que deus te abençoe.